17/07/2024

Folha do Norte da Ilha

O jornal mais tradicional do norte da Ilha de Santa Catarina

Ciclone extratropical causa chuvas fortes e alagamentos no norte da Ilha

Com a passagem do ciclone extratropical que se instalou na região sul, Florianópolis foi atingida por 76 mm de chuva até às 18h45 de hoje(15). Se for considerado a quantidade de chuva desde a última segunda-feira (12), foram outros 67 mm. A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Defesa Civil, continua atuando intensamente no monitoramento da chuva que incide na Capital. De acordo com a Epagri/Ciram, são esperados mais 17,7 mm de chuva até o final do dia.

Segundo levantamento da Defesa Civil do Município, foram alagadas até o momento 13 ruas no Rio Vermelho, quatro no Campeche, seis nos Ingleses, uma em Jurerê, uma no Jardim Atlântico e uma na Cachoeira do Bom Jesus. Para todas as regiões, a administração municipal já acionou caminhões hidrojatos para solucionar o problema, assim que possível.

Com as fortes chuvas, Ingleses e Rio Vermelho tiveram um grande número de ruas alagadas

Outras 13 ocorrências, entre deslizamentos, desabamentos e outros, já foram registradas. Uma família moradora da Serrinha está desalojada e outra, que vive na Costeira, está desabrigada. Não há registros de mortos ou feridos e nenhum serviço essencial foi afetado.

Por conta do momento climático, a Prefeitura de Florianópolis orienta que a população não transite em áreas alagadas e que nas áreas de encosta, observe árvores, postes e muros inclinados subitamente. Rachaduras inesperadas nas residências e muros também são sinais de possíveis deslizamentos.

Segundo a Epagri/Ciram, na última previsão do tempo divulgada às 18h45, não há previsão de chuva para esta sexta-feira, tanto pelo modelo GFS, como pelo WRF. Em caso de emergências, os cidadãos devem entrar em contato com a Defesa Civil pelo 199 ou com o Corpo de Bombeiros pelo 193. Com relação ao trânsito, a orientação é ligar para a Guarda Municipal pelo 153 ou para a Polícia Militar pelo 190.

Os números ainda podem sofrer alterações e, por isso, a Defesa Civil de Florianópolis segue atenta às previsões para que as ações sejam as mais assertivas possíveis.

Da redação
Fotos: Gilberto Gonçalves