Governo de SC oficializa compromisso com manutenção da ponte Hercílio Luz

O edital para a escolha da empresa responsável foi lançado nesta segunda (23)

Governo do Estado oficializou o compromisso de conservação da Ponte Hercílio Luz. Após reabri-la ao tráfego e devolvê-la aos catarinenses, o Estado lançou, nesta segunda-feira (23), o edital de licitação para escolher a empresa que ficará responsável pela manutenção permanente da estrutura pelos próximos três anos.

Entre os serviços previstos, estão vistoria e manutenção diárias, mensais e trimestrais, retoques na pintura, substituição de parafusos, substituição de defensas danificadas, colocação de novas tachas e delineadores de sinalização, colocação e substituição de itens das redes de segurança, substituição de componentes do sistema de iluminação e outros reparos, também na manutenção da iluminação funcional. “Desde que foi reintegrada ao cotidiano de Florianópolis, a ponte se consolidou como atração turística e se tornou uma alternativa importante para a mobilidade urbana. É dever do Estado preservar esse patrimônio histórico, artístico e arquitetônico, de forma permanente e preventiva”, avaliou o governador Carlos Moisés.

De acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, a previsão é investir cerca de R$ 5 milhões neste primeiro contrato, que terá duração de três anos e exigirá da empresa vencedora, além dos resultados, a presença constante de equipes especializadas, material de trabalho e relatórios mensais. “Uma estrutura dessa envergadura, necessita de cuidado constante, manutenção, reparos, para que nunca mais chegue ao ponto de ser interditada novamente”, destacou Vieira.

Primeira ligação com o Continente

A construção do primeiro elo entre a Ilha de Santa Catarina e o Continente foi um marco histórico para os catarinenses e para os brasileiros. A obra, que durou quatro anos, contou com material importado dos Estados Unidos e tecnologia de ponta. Tratava-se da maior ponte pênsil com sistemas de barras de olhal no mundo.

Fatores como o salitre (produto da ação corrosiva do mar), aumento da capacidade para além do planejado na inauguração e falta de manutenção culminaram na primeira interdição, em 1982 (houve reabertura parcial em 1988 e total em 1990), e na segunda, em 1992 (que durou até a reabertura em 2019).

Para que fosse devolvida à comunidade, a Hercilio Luz passou pela maior e mais complexa obra de recuperação da história de Santa Catarina. Na semana de sua reabertura, a Velha Senhora serviu de palco cultural e recebeu mais de 1 milhão de pessoas.

Da redação: Secom
Foto: Divulgação/Secom