17/07/2024

Folha do Norte da Ilha

O jornal mais tradicional do norte da Ilha de Santa Catarina

Saúde confirma primeiro caso da variante EG.5 do coronavírus em Santa Catarina

A Secretaria da Saúde de Santa Catarina (SES) recebeu na noite da última segunda (4), a confirmação do primeiro caso da variante EG.5 do coronavírus no estado. O paciente infectado é um homem, de 37 anos, morador de Biguaçu, sem histórico de viagem. Ele procurou atendimento médico no Hospital Regional de São José (HRSJ) no dia 24 de julho com sintomas leves: coriza, dores musculares e dor de cabeça. A informação é que ele possui esquema vacinal primário contra a Covid-19, primeira e segunda doses.

A amostra do paciente foi coletada pela Unidade Sentinela do HRSJ na mesma data do atendimento, no dia 24 de julho, e processada pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC) que apresentou resultado positivo para Covid-19 no dia seguinte, 25 de julho. No dia 1º de agosto, a amostra foi enviada para o laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, para sequenciamento genético. O relatório da Fiocruz com o resultado positivo para a variante EG.5 chegou ao estado na noite de ontem (4).

Vale lembrar a todos que a vacinação é a melhor forma de prevenir a Covid

Vacinação é a principal prevenção

Vale lembrar que a vacinação contra a Covid-19 continua sendo a melhor forma de prevenir casos graves, hospitalizações e mortes pela doença. Além do esquema primário é importante que toda a população atualize a situação vacinal com as doses de reforço.

Toda a população com 18 anos ou mais com o esquema primário completo (primeira e segunda doses) deve tomar uma dose de reforço com a bivalente, desde que a última dose tenha sido aplicada há mais de 4 meses.

Além deste público, também podem tomar a dose de reforço com a bivalente, pessoas a partir dos 12 anos dos seguintes grupos prioritários:

-pacientes imunocomprometidos;
-pessoas com comorbidades;
-população das comunidades indígenas e quilombolas;
-gestantes e puérperas (mães até 45 dias após o parto);
-trabalhadores da saúde
-pessoas com deficiência permanente
-população privada de liberdade, adolescentes cumprindo medida socioeducativa e funcionários do sistema de privação de liberdade

Da redação com informações da Secom
Fotos: Banco de Dados/FN